Menu

29 de out de 2011

Quando volta.


Que coisa engraçada é a vida, não é mesmo? Se formos parar pra pensar na quantidade de desencontros que tivemos e todas as vezes que o acaso nos poupou...
Todas as vezes que eu não quis ir, porque você ia. Em pensar nas vezes em que fui com a intenção de te ver, e você faltou. Das vezes que desviei da tua calçada e você pisou na minha. Das vezes em que me calei, quando mais precisava ter dito e quando você mais precisava ouvir. Te peguei me olhando, te peguei desviando. Te peguei me esquecendo e me relembrando ao me ver. Desesperada por não saber onde você estava, sentia perder o total controle da situação sem perceber que o que eu perdia na verdade, era você. Fingir não ouvir o que me disse, só para poder repetir que a sua vontade na verdade, era eu. Mas não disse.... E existe o espaço desse vazio, mesmo depois dos intermináveis dias. O que eu queria ter feito foi ter preenchido e lotado esse vazio, de você. Com você. A vida é mesmo uma revistinha de piadas. E assim como quem não quer nada, ela resolve te colocar aqui, na minha frente de novo. Me fazendo tropeçar, só não cair. Não existia mas nada, e por isso, talvez a vida tenha sentido saudade de nós. 
E tanto nós sabemos um do outro, e tão pouco de nós mesmos. Quem diria ser tão fácil se re-descobrir, se cobrir de amor de novo se tornou muito fácil. O mundo que, excepcionalmente para nós, deu rodopios nos trazendo de volta. Andei por anos em seus pensamentos, e talvez seja por isso que esteja acordando cansada. 
E aí, como se não bastasse nos enrolarmos na vida, nos enrolamos no lençol, na coberta e em tudo que nos una, de novo. Esse amor que é tão seu quanto meu, se existe divisões de bens, eu desconheço. 
E te reencontrar, nas entrelinhas da saudade, me faz pensar que se eu fugir... você me pega. E mesmo que eu arrume maneira de escapar, de quê adianta? A vida sempre te trás de volta.
O amor que é existente, devido aos desencontros também.
Olha, ainda não temos emprego, casa ou carro. Mas analisando o fato de termos um ao outro, de novo... temos tudo.

Leitura para ser feita ouvindo: Me and Mrs Jones - Michel Bublé

4 comentários:

  1. engraçado esses textos se encaixarem TANTO na minha vida né. KKK

    ResponderExcluir
  2. copiei um pedaço e postei no meu perfil do facebook, com os devidos creditos. me identifiquei demais, e me fez repensar algumas decisões que eu havia tomado. será que eu tambem vou ter um final feliz como o do texto?

    ResponderExcluir
  3. Olha Sara, se não for como esse eu espero que seja parecido. Eu também espero um final como o do texto! Vamos aguardar =)
    Beijinhos.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...